CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.4 – Yoshiwara x Utakata (parte 1)

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 7.4 – Yoshiwara x Utakata (parte 1)

Tradução: Rodrigon | Revisão: Sir | QC: Hazel



"Eu terminei…"

Estamos tomando café da manhã sob os primeiros raios de sol que alcançam a muralha da cidade.

Mikoto parece que não dormiu a noite toda quando ela desliza a cadeira para longe da mesa.

Ela não comeu muito, apenas um pedaço de pão. Sopa e salada intocadas, ela diz que qualquer um pode pegar seu Bolinho de Batata Crocante. Ele ainda está parado em um prato.

Claramente sem fome, ela caminha até a pia para lavar o prato, e eu vislumbro seu rosto abatido. A deusa, Lili e Welf parecem tão preocupados com ela quanto eu.

"Diga, Mikoto, há algo errado?"

"A Senhorita Mikoto estava fora de casa tarde da noite passada..."

A deusa se inclina na cadeira, seguida de perto por Lili. Mikoto nem se vira, apenas coloca o prato para secar e deixa a cozinha.

Welf faz contato visual comigo e eu aceno de volta. Esquecendo as boas maneiras por enquanto, eu devoro o restante do meu café da manhã o mais rápido possível.

Deixo a limpeza para Welf e sigo Mikoto.

"Senhorita Mikoto!"

"Sir Bell..."

Ainda arrastando os pés, ela estava prestes a sair pela porta da frente.

Ela olha para mim. Seu olhar normalmente digno não está em lugar nenhum para ser visto.

"Então você foi ontem à noite..."

Os ombros de Mikoto se curvam enquanto ela assentiu fracamente.

Assim como eu pensei, ela foi ver Haruhime. Eu posso adivinhar o que aconteceu olhando para o rosto dela… mas peço que ela me conte de qualquer forma.

Ela assente levemente de novo. Preferindo sentar, saímos para o gramado da frente e encontramos um local cheio de caixas e barris vazios no canto da propriedade. Nós dois sentamos.

"Voltei e chamei Lady Haruhime... mas fui rejeitada."

Ela começa a me contar tudo o que aconteceu.

Aparentemente, ela não conseguia ficar parada depois da nossa conversa na livraria.

Disfarçando-se de homem, ela foi ao Distrito da Luz Vermelha sob a cobertura da noite.

Seu olhar cai na grama a seus pés, claramente em dor.

"Ela alegou não saber quem eu era..."

A julgar pela reação, não acho que Haruhime sabia que seus amigos de infância estavam em Orario. Eu não estava lá para ver a "rejeição", mas talvez Haruhime tenha se assustado com a reunião repentina?

Ou talvez... ela não queria que sua amiga a visse como uma prostituta.

É apenas um palpite, mas depois de passar várias horas com ela, não acho que ela ficaria animada em ver a Mikoto.

"... Hum, senhorita Mikoto. Como a Haruhime era, lá no Extremo Oriente?"

Eu nem mesmo sei porque quero saber tanto sobre ela.

Eu deveria estar tentando animar Mikoto, mas eu trago isso à tona.

"... Ela era bem-educada, elegante e gentil. Com nenhum conhecimento do mundo exterior, até as coisas mais mundanas a surpreendiam... a fazia feliz."

Mikoto não tira os olhos da grama enquanto as palavras saem de sua boca.

Ela está perdida em suas memórias.

"Ela era uma pessoa tímida. Diferente de Lady Chigusa, Lady Haruhime estava sempre preocupada se ela podia estar onde estava, constantemente ansiosa... É por isso que me trazia muita alegria sempre que ela sorria."

Haruhime como uma garotinha... posso imaginar seus cabelos dourados e sorriso inocente.

"Acima de tudo, ela era muito gentil. Mesmo antes de nos conhecermos, Lady Haruhime ouviu rumores sobre o santuário visível por trás de sua mansão na montanha... Ela pediu ao pai para enviar uma doação de comida."

"Ela pediu…?"

" 'Como eu não posso comer tudo isso, por favor, dê um pouco aos deuses'... foi o primeiro pedido que ela fez ao pai."

Haruhime nasceu em uma vida de conforto, sem medo da fome. Ouvir sobre como Mikoto e os outros viviam deve ter sido um choque real para ela. Ouvir sobre crianças e deuses que se vestiam com o que estava disponível e viviam cultivando e vendendo raízes ou outras plantas de seu jardim na montanha, provavelmente parecia algo fora de um livro.

Mikoto disse que ela já gostava de ler, escapando de sua existência solitária nos lindos mundos entre as páginas. Foi lá que ela ganhou a compaixão para ajudar pessoas que ela nunca conheceu. Aparentemente, ela foi bastante persistente em enviar ajuda ao santuário.

"Todos nós pulamos de alegria no dia em que a comida nos foi entregue como doação. Claro, estávamos interessados ​​em saber quem tinha sido tão generoso. Uma vez que ouvimos que veio da mansão na base da montanha, o capitão Ouka nos levou ao grande edifício de madeira. Nós começamos a olhar por cima da cerca..."

Foi quando ela viu Haruhime pela primeira vez.

Seu gramado amplo era bem cuidado, cheio de pedras de jardins e pequenas árvores. Eles a viram pela primeira vez, uma pessoa-raposa com um pincel na mão escrevendo um pergaminho. Mas seus olhos estavam olhando para fora, cheios de solidão.

"Embora seja embaraçoso admitir, isso nos encheu de coragem. Essa ótima pessoa nos resgatou da fome; nós a salvaríamos da desolação."

As bochechas de Mikoto coraram quando um pequeno sorriso aparece em seus lábios.

A partir daí, as crianças do santuário consultaram os deuses sobre como ajudar a garota. Foi quando Lorde Takemikazuchi soube da situação de Haruhime e deu o empurrão que eles precisavam.

"Lorde Takemikazuchi nos concedeu sua bênção para que pudéssemos retribuir Lady Haruhime por sua bondade."

Ele se recusou a fazê-lo até que concluíssemos seu treinamento de combate. No entanto, ele cedeu depois de ver a virtude em seu propósito.

Isso significa que ela... recebeu seu Status para ajudar Haruhime?

"O resto eu expliquei ontem. Todos nós trabalhamos juntos para nos esgueirar na mansão e trazer Lady Haruhime para fora."

Usando as técnicas que aprenderam com Lorde Takemikazuchi, bem como seus Status, eles tiveram facilidade em evitar os adultos em patrulha e levar Haruhime para brincar à noite.

Mikoto faz uma careta e diz que, do ponto de vista do pai de Haruhime, eles nada mais eram do que uma coisa ruim para uma pessoa boa.

"No começo, Lady Haruhime ficou assustada. Crianças que ela nunca conheceu antes, de repente, apareceram em seu quarto e disseram para ela ir com eles..."

No entanto, uma vez que eles a convenceram a sair, Haruhime sentiu seu primeiro gosto de emoção.

Depois de duas ou três vezes, a pessoa-raposa esperava entusiasmada pelo retorno do grupo de crianças da sua idade à noite.

"Mesmo depois que fomos descobertos, continuamos a visitá-la... Ela nos disse..."

A mansão estava mais fortemente guardada do que nunca.

Um grupo de crianças havia evitado patrulhas para trazer a amiga para fora.

Duas figuras, uma com cabelos dourados e outra com preto, correndo de mãos dadas através das plantações de arroz ao luar.

A jovem parou para recuperar o fôlego, corando ao olhar para seus amigos, sorrindo.

— Mikoto, Ouka, todos vocês são como os heróis de um livro.

As outras figuras de cabelos pretos param de correr, se viram para ela e sorriram de volta.

"Ficamos felizes, orgulhosos de considerá-la nossa amiga. Tínhamos pagado a dívida... Nós fizemos a garota solitária sorrir."

Mikoto continua dizendo que eles levaram Haruhime para muitos lugares ao redor da montanha.

Os encrenqueiros que continuavam sequestrando sua filha o senhor da mansão parou de enviar assistência às crianças do santuário, mas isso não impediu Mikoto e seus amigos de encontrar maneiras de entrar em sua mansão.

Ouka, Chigusa, Mikoto e os outros membros da <Família Takemikazuchi> brincaram e riram junto com Haruhime... até que aquele dia chegou.

Um sorriso estava crescendo no rosto de Mikoto enquanto ela contava suas antigas aventuras. De repente, como acordar de um sonho, ela olhou de volta para baixo no chão.

Então, Haruhime foi vendida para outro país e se tornou uma prostituta.

Enquanto isso, eles viajaram para Orario há dois anos, lutaram com unhas e dentes para ganhar Excelia e melhorar seus Status de crescimento lento, e foram finalmente obtendo resultados.

Ouka, e depois Mikoto, subiram de nível.

E agora eles estavam envolvidos com um conhecido "novato" e tinham ganhado um pouco de notoriedade por conta própria.

Mikoto e Haruhime tomaram caminhos muito diferentes para subitamente se reunirem em uma grande cidade longe de casa.

A voz de Mikoto treme quando ela conta sua inesperada reunião e como suas posições haviam mudado.

"Se ela está com dor, quero ajudar... Não quero voltar às coisas como eram antigamente."

Mikoto não conseguiu manter a voz firme quando ela revelou seu desejo mais profundo.

Estendendo a mão, ela passa os dedos por onde seu Status está gravado em suas costas.

"Isso é bastante egoísta... mas eu quero ver Lady Haruhime sorrir novamente."

Só então eu noto as lágrimas escorrendo por suas bochechas. Ela rapidamente as enxuga com o braço e fica em silêncio.

Mais uma vez, não tenho ideia do que dizer a uma garota chorando.


Terminada a conversa, espero com Mikoto até que ela se acalme.

Pedindo desculpas pela visão vergonhosa, ela diz que estava planejando visitar a Guilda. Apesar de saber que seria inútil, ela quer ver se há outras opções que ela pode buscar.

Peço para ir com ela. Duvido que possa fazer muita diferença, mas também não quero apenas ficar sentado.

Ela concorda e nós dois saímos pelo portão da frente.

"..."

"..."

Saímos para a rua em frente à nossa casa em silêncio.

Nossas cabeças estão cheias de pensamentos sobre Haruhime. Dizer qualquer coisa neste momento seria apenas uma tentativa inútil de sarar as feridas um do outro, então mantemos a boca fechada.

Se alguém nos visse agora, provavelmente comentaria sobre como parecemos deprimidos andando lado a lado assim.

"O-olá, Bell. Pequena Mikoto."

"... Lorde Hermes?"

Estamos a menos de um quarteirão de distância de casa.

Lorde Hermes aparece de repente por trás de algumas árvores. A pena em seu chapéu balança enquanto ele caminha, parando na nossa frente.

Isso é estranho, como se ele estivesse apenas esperando alguém sair da nossa casa...

"Hum, vocês dois tiveram algum problema recentemente? Como, digamos, muitas Amazonas de uma só vez...?"

"Q-que tipo de pergunta é essa...?"

Mikoto é a primeira a responder a pergunta inesperada de Lorde Hermes. Bem, Aisha e muitas Amazonas me perseguiram algumas noites atrás, mas...

Lorde Hermes está sozinho novamente hoje e muito ansioso com alguma coisa. Eu meio que sinto pena dele.

Ele está brincando com a aba do chapéu e não consegue olhar para mim mais do que por alguns segundos de cada vez. Na terceira olhada, ele percebe que também não estamos indo tão bem.

"Vocês dois parecem um pouco sombrios... Algo aconteceu?"

Mikoto e eu trocamos um olhar e olhamos para o chão.

O ar ao redor de Lorde Hermes muda instantaneamente e ele dá um sorriso charmoso.

"Se você me considerar digno, eu poderia lhe dar alguns conselhos."

"Hum..."

"Juro pela minha divindade que qualquer coisa dita ficará entre nós."

Ele tira o chapéu e o coloca sobre o coração.

"Eu sou um deus, afinal. Eu posso ajudar."

Até o tom dele mudou — é mais poderoso, a voz de alguém que pode guiar os filhos perdidos de Gekai. Ele até dá uma piscada.

Mikoto e eu olhamos um para o outro mais uma vez... e então para Lorde Hermes, e nós assentimos.

Queremos fazer algo sobre a situação de Haruhime e, se houver qualquer chance de Lorde Hermes nos ajudar, nós a aceitaremos.


https://lh4.googleusercontent.com/YkStG6stxxnh7ziWFOV2In6E3G1j4kdCnO9VL68vg2Wq_11YRa6Hq6pEeTz5siDklO864Gtl50ethI7wHypzeADU85BZJt7ANZti2dxlyVec8bkfFTfDsNtC1MpwUa4K1fhqr5we

Por Rodrigon | 20/01/21 às 20:10 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Ecchi, Shounen, Mitologia, Japonesa, Elementos de MMO