CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.5 – Pedra da Morte (parte 6)

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 7.5 – Pedra da Morte (parte 6)

Tradução: Rodrigon | Revisão: Sir | QC: Hazel

Ranger, ranger. Eu empurro contra um leve painel de pedra. Ele abre para cima, deixando uma luz laranja entrar no túnel.

Não sei quanto tempo passamos lá, mas não posso expressar o quão bom é receber um sopro de ar fresco depois de emergir daquele labirinto no subsolo.

"Finalmente..."

Essas palavras escapam da minha boca quando saio para a luz. O céu está em um tom avermelhado do início da noite. Eu me viro e pego a mão de Haruhime, levantando-a para fora.

Uma pitada de surpresa brilha em seu rosto antes que ela me agradeça e dê outro pequeno sorriso.

"Já é tão tarde..."

O painel de pedra combina perfeitamente com o asfalto da rua. É bastante impressionante, na verdade. Eu respiro fundo outra vez e olho para o céu acima do Quarteirão do Prazer. Cada edifício contrasta fortemente com a luz do sol, colunas de sombra alcançando o céu. Foi um dia e tanto. Primeiro explorei a Dungeon, depois fui atacado, capturado, e resgatado... Não é à toa que perdi a noção do tempo.

Dou outra olhada ao redor e vejo que essa rua está alinhada com bordéis degradados e abandonados. Duvido que haja alguém dentro de qualquer um desses edifícios. Haruhime estava certa — ninguém saberá que viemos aqui.

"Haruhime, muito obrigado. Me resgatando, me guiando para fora..."

Ela vira a cabeça para me encarar. Mais uma vez ela se parece com uma pintura, o único toque de cor na frente de um cenário de edifícios em mau estado. Então ela sorri.

"Fiz apenas o que desejei. Por favor, não se preocupe. Mas mais importante, por favor, deixe este lugar rapidamente."

"Mas..."

"Você tem minha palavra, Mestre Cranel, vou me certificar de que a Senhorita Mikoto também escape com segurança."

Mikoto? Ah, acho que ela pensa que estou hesitando porque estou preocupado com ela.

Claro que sim, mas... há algo mais que está me incomodando.

A maneira como Haruhime tem mantido uma postura forte; simplesmente não faz sentido.

E também há a escolha de palavras dela quando estávamos no subterrâneo.

Parece que há algo à espreita em uma névoa espessa e misteriosa, algo perigoso. Mas não consigo descobrir o que é.

"Senhorita Haruhime, você tem certeza? Se você voltar, você vai..."

Há tanta coisa em minha mente que tenho que lutar para juntar as palavras. Parece uma desculpa, mas tenho medo por ela. Haruhime foi contra a vontade de sua própria família para proteger Mikoto e eu. Eu não posso simplesmente deixá-la.

"... Mestre Cranel. Dê uma olhada nisto."

Eu fico parado no local enquanto ela gesticula para o colar preto ao redor de seu fino pescoço.

"Este é um item mágico que rastreia minha localização... estou constantemente conectada a uma corrente invisível."

"Hã…?"

"Lady Ishtar e as Berbera são constantemente informadas do meu paradeiro. Se eu der um passo para fora do Quarteirão do Prazer, ele emitirá um som alto e queimará minha pele enquanto restringe meus movimentos. As perseguidoras vão me alcançar em pouco tempo."

Meu queixo cai.

Então ela explica que qualquer tentativa de destruí-lo faria o alarme soar. O tempo todo, ela passa as pontas dos dedos por sua superfície preta e brilhante.

"Se o alarme disparar, as Berbera virão para este lugar."

"Então, por favor, se apresse", ela pede novamente. "É o mais longe que posso ir."

Ela sorri fracamente e fica em silêncio.

"Não, não deveria ser assim..."

Isso não está certo.

Eu nunca tive tanta certeza de nada na minha vida. Por que a <Família Ishtar> adotaria medidas tão extremas para manter uma não-combatente de nível baixo em suas fileiras?

Por que um item mágico seria necessário para restringi-la?

A única resposta que consigo pensar é que Haruhime tem algum papel importante a desempenhar para a família.

Nesse caso, éramos ingênuos em pensar que poderíamos libertá-la com uma redenção...? Eu praticamente posso ouvir as engrenagens girando na minha cabeça.

É quando as imagens começam a piscar.

Haruhime chamando a si mesma de prostituta suja, enquanto conversava sobre os gloriosos tempos antigos.

Sentada em uma casa que mais parecia uma cela de prisão, observando o mundo exterior com inveja através de uma janela gradeada.

Um sorriso distante, como se ela tivesse desistido.

Talvez seu Status de prostituta não seja a causa de sua dor?

Não posso evitar de sentir que estou perdendo algo muito importante. Eu não vou para lugar algum até que eu descubra isso.

"... Mestre Cranel, por favor, corra."

Ela dá um passo para mais perto de mim, sua voz mais urgente do que antes. Quando de repente —

"Sir Bell!"

Uma nova voz ecoa de cima.

"Senhorita Mikoto?"

Eu me viro e a vejo pulando de uma das sombras. Em um piscar de olhos, ela pousa na minha frente com um baque suave.

Ah sim, ela tem essa Habilidade. Ela deve ter encontrado uma maneira de escapar do palácio por conta própria e me seguiu até aqui. Seu rabo de cavalo preto balança com a brisa enquanto ela se levanta e se vira para nos olhar. Haruhime parece tão surpresa quanto eu.

Nós dois somos surpreendidos momentaneamente pelas roupas estranhas dela, mas Haruhime não leva muito tempo para perceber que sua amiga de infância a encontrou mais uma vez.

"Senhorita Mikoto..."

"Lady Haruhime, tenho uma pergunta a fazer."

"... O que é?"

Mikoto interrompe a alegria de seu reencontro.

Há uma pitada de desespero em seu rosto. Ela faz uma pausa para reunir seus pensamentos antes de sussurrar três palavras.

"... <Pedra da Morte>."

"!!"

A postura de força de Haruhime desmorona na minha frente.

Ombros começam a tremer, olhos se arregalam, cabeça baixa.

Mikoto observa a transformação, parecendo que ela pode chorar a qualquer momento.

O que está acontecendo? Antes que eu possa perguntar, as próximas palavras de Mikoto fazem meu sangue gelar.

"Diga-me que é tudo mentira! Que esta noite... você não está se tornando um sacrifício!"

Sacrifício...?

Fazendo o meu melhor para superar o choque, olho para Haruhime. Ela ainda está olhando para seus pés, sem tentar negar nada.

"Lady Haruhime!" Mikoto grita enquanto corre para o lado dela.

"— Então é assim que é."

Mas outra voz a interrompe.

"?!"

Uma sombra se aproxima de Haruhime e Mikoto como uma flecha, cabelo preto em seu rastro.

Ela se envolve em torno de Haruhime, deixando Mikoto em um silêncio atordoado.

"Há quanto tempo vocês se conhecem?"

É Aisha. Ela está segurando uma imensa lâmina de madeira na mão esquerda.

Usando a mão direita, Aisha pressiona o rosto de Haruhime em seu peito, abraçando-a enquanto resmunga.

"Aisha?!"

Ela é pelo menos uma cabeça mais alta que a pessoa-raposa e selou completamente seus movimentos.

Aisha parece estar impedindo a fuga de Haruhime ou a protegendo de nós; Não tenho certeza de qual.

"Então, parece que você descobriu tudo. Do nosso plano."

"... Bem, e então?"

Existem cerca de dez passos de distância entre nós. Quatro figuras na rua de trás, Mikoto e eu contra Aisha e Haruhime.

Mikoto assume uma postura agressiva, preparando seu corpo, enquanto Aisha vira o olhar para minha direção. Não posso deixar de gritar.

"Qual o significado disso?! Sacrificando a Senhorita Haruhime... Por quê?!"

"... Tudo está sendo feito de acordo com os desejos de Lady Ishtar. Nós usaremos esta Haruhime aqui para acabar com a <Família Freya>."

Havia tantas coisas que eu queria dizer, e isso foi o melhor que eu consegui. Aisha sorri para mim e começa a me contar o grande esquema delas.

"Lady Aisha, pare!" grita Haruhime entre os seios de Aisha e luta com todas as suas forças. No entanto, a Amazona apenas a aperta até que ela pare de lutar e continua.

— Primeiro, eles selam a alma de Haruhime em um item mágico chamado <Pedra da Morte>.

— Em seguida, eles quebram a pedra em pedaços grandes o suficiente para que o portador use a magia da pessoa-raposa, chamada feitiçaria.

— Por fim, eles usam esse poder para derrubar a rival e inimiga jurada de sua deusa, <Família Freya>.

Isso é demais para absorver de uma só vez. A escala é grande demais.

Derrubar a <Família Freya>? A família mais poderosa de Orario? Com o "poder" de Haruhime?

Minha confusão desaparece quando ela explica o propósito da <Pedra da Morte>, assim como o destino do sacrifício. Eu estava tão desesperado para entender, entrando em pânico por falta de informação, que quando finalmente entendi, isso me atinge como um muro de pedra.

Parte de mim ainda está se perguntando se algum item mágico estranho realmente pode tornar seu plano possível.

Mas a outra parte de mim está revivendo a noite que passei com Haruhime, falando sobre uma história em particular.

Era sobre o gênio preso em uma lâmpada. Era o mesmo que o poder dela, preso até que os desejos de seu mestre se tornem realidade.

A história se repete, sempre há uma conexão com o passado — eu chego a uma conclusão bastante fria.

"M-mas o poder de Haruhime? Ela é apenas...?"

"Alguma prostituta de baixo escalão, é o que você vai dizer? Hah! Você já se esqueceu da surra que tomou na Dungeon? Aquilo foi o "poder" dela que limpou o chão com você. Aquilo é feitiçaria."

Não há nada que eu possa dizer. Eu limpo minha garganta enquanto as memórias dessa batalha inundam minha mente. Uma lágrima escorre pelo rosto de Haruhime, sua expressão em algum lugar entre remorso e tormento.

Como eu poderia esquecer aqueles incontáveis ​​pequenos brilhos que cercavam Aisha enquanto ela dava golpe após golpe durante nossa luta?

Seu poder era esmagador. Ela acabou comigo e com Mikoto com força e velocidade equivalentes a alguém no topo do Nível 4.

Aquela luz de encantamento veio da Habilidade de Haruhime, a razão pela qual ela seria sacrificada em benefício da <Família Ishtar> para se tornar o poder que acaba com a <Família Freya>. Tudo se encaixa.

Ela tem a capacidade de aumentar o poder das pessoas ao seu redor. Combinando isso com uma aventureira de primeira classe como Phryne e todas as outras combatentes —

Eles podem ter sucesso.

Destronando a <Família Freya> — derrubando-os do topo.

"Lady Aisha, eu te imploro! Deixe Mestre Cranel e a Senhorita Mikoto irem!"

O grito de Haruhime me tira da minha linha de pensamento.

Aisha nem sequer olha para a garota que implora com todas as suas forças.

"Não é possível. Não posso permitir que alguém que saiba tanto fique livre... Lady Ishtar não os deixaria viver."

Aisha faz sua declaração enquanto aponta sua lâmina de madeira em nossa direção.

Seus olhos estão frios como gelo, penetrando através de mim. É quando minha raiva explode.

"Como você pode ficar parada e ver isso acontecer com alguém de sua própria família — SUA PRÓPRIA FAMÍLIA?!"

"..."

"O que ela é, algum tipo de ferramenta que você joga fora quando acabou de brincar?"

Minha raiva não tem efeito nela. O rosto de Aisha é sólido como uma máscara.

"Lady Ishtar prometeu devolver o conteúdo da <Pedra da Morte> para Haruhime, uma vez que o placar tenha sido acertado com a <Família Freya>."

"Você sabe que ela não pode cumprir uma promessa vazia assim!"

Mikoto ruge com as palavras de Aisha.

Elas estão planejando uma guerra total contra a <Família Freya>. Não há maneira de garantir que cada fragmento dessa pedra sobreviva. Haruhime nunca seria normal novamente.

Com nossos olhos ardendo em fúria, nós dois refutamos as alegações de Aisha.

"E quanto a você? Você concorda com isso?"

Minha voz treme de raiva.

"... vocês dois não sabem de nada."

Aisha parece cansada. Haruhime olha para ela surpresa.

"Nada causa mais problemas e dor do que o ciúme de uma deusa."

"Eh...?"

"Esse ciúme é forte o suficiente para mudar nosso mundo. Forte o suficiente para mexer com o destino de todo ser humano, começar guerras e coisas piores. Nossa deusa está consumida por ele."

Chamas negras do inferno queimam por trás do glamour dessa deusa, de acordo com Aisha.

Ela continua com uma voz áspera, chegando ao cerne de sua afirmação.

"Falar mais é inútil. Não podemos desobedecer Lady Ishtar."

Suas palavras soam com a determinação de um fanático — embora ela não faça nenhuma tentativa de esconder sua frustração — quando Aisha e eu nos encaramos.

"Vou falar para vocês sobre uma prostituta idiota. Ela odiava tanto uma pessoa-raposa que poderia vomitar toda vez que via o olhar lamentável em seu rosto. Não importa o quão mal ela a tratava, a pessoa-raposa só olhava para trás com um sorriso patético, como se ela tivesse jogado a toalha há muito tempo."

"...!"

"Aquela prostituta burra, tão cheia de ódio, fez algo estúpido no passado. Ela destruiu uma certa pedra, quebrou-a em pedaços."

Os olhos de Haruhime se abrem em choque. Ela afasta o rosto do peito de Aisha. Acho que ela nunca ouviu isso antes.

Mikoto e eu estamos igualmente atordoados.

Mas Aisha não terminou de falar. A raiva dela por essa "prostituta idiota" está enraizada profundamente. Cada palavra que ela fala, toda respiração que ela dá, está transbordando de raiva que não tem para onde ir.

"As ações dessa prostituta não ficaram em segredo por muito tempo. Depois que ela foi espancada quase até a morte por uma maldita sapa, sua cabeça estava... encantada ao ponto da insanidade por sua deusa."

Há algo mais por trás da raiva; Eu posso ver nos olhos dela. É medo.

"Ela ficou totalmente arrasada, ao ponto da ideia de ir contra a vontade da deusa fazer suas mãos tremerem. Quebrar uma pedra a fez desmoronar na hora... Aquela prostituta nem pensa mais em ir contra Lady Ishtar."

A espada de madeira na mão esquerda está tremendo. O braço direito dela aperta em torno de Haruhime, quase como um reflexo.

Mikoto e eu apenas ficamos lá, nenhum de nós diz uma palavra.

Uma nova imagem vem à minha mente.

Uma Aisha indefesa, machucada e sangrenta à mercê de uma deusa erótica com o vigor de uma necrófila.

Seu rosto preso entre as mãos da deusa, olhos molhados de lágrimas, enquanto a divindade se senta acima dela, sussurrando palavras de amor atormentado em seu ouvido antes de passar os dedos pela pele batida e maltratada de Aisha, ignorando os gritos de dor.

Eu tive apenas um breve encontro com essa Deusa da Beleza, mas já tenho uma ideia do seu lado diabólico.

Foi forte o suficiente para conquistar o espírito resoluto das Amazonas na minha frente. Pensar nisso faz minhas palmas pingarem de suor.

Olho para Mikoto. Ela está se esquecendo de respirar.

"Todas as Berbera se uniram após o incidente. Algumas queriam brigar desde o início, outras têm medo da ira de Lady Ishtar. Mas todas nós sabemos, nada pode parar esta luta."

Ela diz que foi uma limpeza completa.

Depois disso, mesmo as Berbera que originalmente se opunham à guerra com a <Família Freya> ficaram alinhadas com o plano de usar Haruhime. Todas as vozes opostas à guerra desapareceram.

Tudo de acordo com o desejo de Lady Ishtar.

"Vocês dois não entendem o quão aterrorizante nossa deusa pode ser."

Com isso, Aisha fica em silêncio.

Agora é Haruhime quem está tremendo. Aisha ajusta seu aperto antes de inclinar a cabeça e dizer:

"... E eu tenho que dizer, por que vocês ainda não vieram até mim? Por que apenas palavras?"

Ela levanta uma das sobrancelhas enquanto as pálpebras caem.

"Vocês sabem o que vai acontecer com esta aqui. Por que não tentar levá-la de volta? O que vocês estão esperando?"

" " ?! " "

Meus ombros saltam. Mikoto tem a mesma reação.

Nós dois lembramos muito bem do aviso de Hermes.

Fazer qualquer coisa para perturbar Lady Ishtar ou suas seguidoras resultaria na destruição absoluta da <Família Hestia>.

A deusa e nossos amigos seriam atraídos para uma batalha sem esperança se tentarmos fazer alguma coisa.

Se levássemos Haruhime agora, as Berbera certamente nos seguiriam.

Um dos grupos de elite em Orario, com uma vingança contra a <Família Hestia>.

"Bem, isso é..."

As palavras não saem. Minha garganta está seca, a respiração áspera.

Mikoto e eu estamos congelados no lugar. Meus olhos tremem quando olho para Haruhime.

Seus olhos estão escondidos atrás da franja, orelhas de raposa apertadas firmemente contra sua cabeça. Ela não está olhando, ela não está ouvindo, apenas fazendo o possível para se esconder dentro do abraço de Aisha. Vê-la assim faz algo estalar dentro do meu coração.

"— As prostitutas devem ser destruídas."Hazel: e eu toda a equipe que reside em minha mente, está mandando o Bell à m3rda

Por que isso, por que agora?

Por que eu me lembraria dessas palavras em um momento como este?

"... sem esperança, afinal. Não posso te dar essa garota, Bell Cranel."

Aisha chama meu nome, seu olhar feroz travado no meu corpo imóvel.

"E se você está procurando simpatia, esqueça. Você me faz querer vomitar."

"N-não, isso não é...!"

"Então, você está dizendo que pode salvá-la? Não me parece isso. Não posso deixar isso em suas mãos, posso?"

Ela me interrompe antes que eu possa dizer mais alguma coisa. Sua própria presença é imponente, me dominando a cada passo.

Não há piedade nos olhos dela. Ao mesmo tempo, sua voz soa como se ela estivesse lançando um desafio.

"Eu não estou dizendo que você é fraco. Você não tem determinação, espírito."

"...!"

"Você não tem a determinação de arriscar tudo para salvar Haruhime."

Aquele olhar penetrante vê através de mim, suas palavras prendem meu coração como garras geladas.

"Você não tem o rosto de um homem."

E então, ela abaixa o martelo.

"Sem arrogância, você não mostra nenhum desejo de dominar, de pegar o que quer."

"Tudo o que vejo é um pirralho idiota com a cabeça nas nuvens."

"Você não pode dar tudo o que tem por essa garota."

Há um tom claro de decepção na voz de Aisha enquanto seu discurso retórico finalmente chega ao fim.

Essas palavras são profundas. Eu quero responder, dizer qualquer coisa para me defender, mas nada vem. É o mesmo para Mikoto.

A decepção de Aisha está agora escrita em todo o seu rosto. Ela olha para nós, como se esperasse um desafio que não vem.

Haruhime parece uma criança assustada, apenas desejando que a coisa toda chegue ao fim... Ela tem os braços em volta do corpo, esperando.

Quatro figuras em pé em uma ampla rua de trás, banhadas pela luz solar alaranjada.

"— Eu os encontrei — por aqui!"

As vozes de outras Amazonas cortam a quietude.

Mikoto e Haruhime imediatamente olham na direção das recém-chegadas. Elas ainda estão longe, mas devem chegar aqui em instantes.

Aisha não se mexe; seus olhos ainda estão em mim, no meu rosto patético. O que é pior, ainda não consigo me mexer.

"— Senhorita Mikoto, fuja!"

Haruhime, no entanto, pode.

Se contorcendo no aperto de Aisha, ela pula em cima do braço esquerdo da Amazona e envolve todo o corpo em torno dele, abaixando a lâmina.

O grito repentino de Haruhime tira Mikoto de seu transe e surpreende Aisha ao mesmo tempo. Mikoto pula para o meu lado e segura o meu braço.

"Sir Bell!"

Ela praticamente me arrasta para trás, minhas pernas demorando alguns momentos para se lembrar de andar.

As longas sombras das Berbera estão vindo em nossa direção. Aisha está apenas parada lá, Haruhime a segurando com todas as suas forças. Eu as deixo para trás.

Eu... fujo.


"..."

"Siga-os!" "Não os deixe escapar!" Haruhime e Aisha assistiram e ouviram os gritos de muitas Amazonas clamando enquanto passavam correndo.

Aisha viu suas aliadas se espalharem em busca dos dois humanos e deixou seu corpo relaxar.

"... Pare com isso, sua idiota."

Swish. A palma da mão direita de Aisha colidiu com a cabeça de Haruhime, facilmente quebrando seu aperto e a derrubando no chão. "Awh", veio um grito fraco da pessoa-raposa quando ela percebeu o quão inútil suas ações tinham sido.

No nível 1, Haruhime não tinha esperança de restringir Aisha desde o começo. Ela levou a mão à cabeça, respirando superficialmente logo acima do pavimento de pedra. Aisha desviou seu olhar para a direção onde os dois humanos haviam desaparecido.

Com a luz vermelha do sol poente iluminando metade do seu rosto, ela franziu a testa.


https://lh3.googleusercontent.com/TnO8zVSGmxKqviRvrady4ziO9-xBSePmvO6W0E03XjJqZ1IpH4xv812PYZRVDk8f0Onn4u9KngUftRCon5WySTwRGIb0cua64UHQZLVXv_6sjxE8gSBJb4PdCQ-MhHWSVI9IvDKE

Por Rodrigon | 24/02/21 às 16:06 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Ecchi, Shounen, Mitologia, Japonesa, Elementos de MMO